segunda-feira, 2 de abril de 2012

Palavras Dispersas: “Não há noites sem estrelas, nem dias sem sol”



A vida, puzzle virtuoso e demoníaco, é construída de momentos, fases brilhantes, transparentes, obscuras ou por “escurecer”…
Bem sei que, nem todo o céu azul é bonança e nem todo o dia de nevoeiro faz surgir D. Sebastião, mas, ainda assim, não há noites sem estrelas nem dias sem sol…
É claro que existem momentos de puro desespero, momentos em que mal sabemos quem somos, para onde vamos ou queremos ir. Tudo é turvo e não existem escolhas ou poder de decisão. Tudo é mau e o mundo está contra nós numa conspiração sem igual, e nada, mesmo nada, corre como devia.
Já sem força para combater tamanha adversidade, calçamos as pantufas, deixamo-nos afundar no sofá, no conforto do cobertor, parece inverno e lá fora faz frio.
Pessoalmente, desespero pelo que não posso controlar, pelo que posso sentir, mas cuja impotência não me permite resolver.
Pode até parecer uma receita simplista, inútil ou inocente, mas o poder do pensamento positivo faz, de facto, pequenos milagres. Não resolve o problema, não o faz desaparecer, mas minimiza todas aquelas outras situações que normalmente nos fazem pesar sem serem meritórias.
Azeite e água, noite e dia, o sol e a lua… se escutarmos com atenção a voz da razão teremos a noção de que há batalhas que não devem ser travadas, pelo ridículo da falta de gravidade, outras que não podem ser vencidas, simplesmente por não estar nas nossas mãos e por fim aquelas que podem e devem ser ganhas e que nos ajudam a crescer.
Se adquirirmos a capacidade de nos livrarmos dos pesos inúteis, seremos com toda a certeza mais fortes para compreender, aprender com a dor e a ultrapassar. Existem dificuldades inultrapassáveis sem dor, mas se nos conhecermos a nós mesmos aprendemos a saber o que é que nos faz sorrir, levantar nas manhãs frias de Inverno e ir trabalhar. Existem dores que não podemos minimizar e feridas que demoram a sarar, mas todas as dores da alma podem ser tratadas, apenas temos que as saber “digerir” de forma a as deixarmos de reviver.
A felicidade?
Está nas pequenas coisas, Garanto
Boa Segunda-feira.

26 comentários:

  1. Palavras tão sãs como saber respirar pausadamente num momento de aflição.

    Boa semana de trabalho Sam

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite Bianca, saber respirar ajuda em inúmeras situações desagradáveis, e permite-nos ainda não cair em determinados erros desnecessários… beijo e boa semana para ti também.

      Eliminar
  2. Esses "pequenos detalhes" fazem toda a diferença.
    Boa semana também para si.
    Bem Haja!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois fazem Rui…
      Tenha uma óptima semana e obrigado.

      Eliminar
  3. Sim... é exactamente nessas pequenas coisas que ela poderá estar!
    Teremos que prestar atenção a todos os sinais...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mfc, boa noite, em geral está mesmo, mesmo, ao nosso lado… Boa noite, abraço e obrigado.

      Eliminar
  4. Filosofia de vida para seguir à risca, certamente! Difícil? Claro, saber viver é difícil...
    Quanto à felicidade, às vezes só damos por essas pequenas coisas que no-la traz quando nos sentimos infelizes-somos um anmal estranho...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Justine, boa noite, “difícil? Claro, saber viver é difícil…” mesmo muito… É verdade o que dizes, mas o Homem tem uma capacidade de aprendizagem absolutamente estrondosa e tem capacidade para evoluir. O erro está lá, faz parte da vida… mas não tem de ser sempre o mesmo…
      Abraço.

      Eliminar
  5. Texto que subscrevo, normalmente digo que não vale a pena sofrer pelo que não conseguimos alterar e... na vida tudo passa pode levar algum tempo mas acaba passando nem que seja arrumada numa caixa pe papelão bem no cantinho do sotão da mente.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Multiolhares, boa noite e obrigado. É no fundo a atitude possível e a que faz mais sentido ter… temos muitas “caixas depapelão”, mas podemos igualmente ter muitas “fotografias” , “vídeos” de grandes, grandes, memórias.
      Bjs.

      Eliminar
  6. A felicidade é a própria vida como experiência única e, se não houvesse meio mundo a tentar lixar o outro meio e, meia dúzia a tentar deter o poder para controlar os outros todos... isto era um autêntico Paraíso e se não formos capazes de o fazer cá na Terra... não existirá mais nenhum... pré-fabricado e prontinho a habitar ;)

    Bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite Isa, ainda estou à espera de um texto teu sobre o significado das cores (risos).
      Tal como dizes a felicidade é o caminho não o fim a atingir… Que bela imagem me acabaste de dar… mas há o “outro meio mundo”…
      Grande beijinho.

      Eliminar
  7. Poderia ter sido um texto meu... existem de facto alturas que nos sentimos assim... hoje é um desses dias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Utena, existem, existem… a “reviravolta” só pode partir do próprio, o sangue que ferve, o querer, o crer, a resistência, e sobretudo apreciar os pequenos momentos e as pequenas coisas… e há muitos… mesmo muitos… e quase todos lá fora… num belo dia de sol ou mesmo na mais terrível das tempestades.
      Abraço

      Eliminar
  8. Começas bem Sam! :) Não posso dizer outra coisa que não seja que tens evidentemente toneladas de razão... gostei muito deste teu texto (se calhar enfiei uma carapuçinha pequenininha...)Beijo grande meu querido amigo e obrigada pela força que sempre me tens dado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Eva, obrigado, muitas, mesmo muitas saudades tuas…da tua “presença” e dos teus belos textos…
      Poucos de nós se podem dar ao “luxo” de não “enfiar tal pequena carapucinha” (risos), mas, não há fundo do poço, que não tenha uma saída…
      Grande beijinho e volta em força, cá te espero…

      Eliminar
  9. Sam? Este texto foi escrito para mim???

    É que parece que me vejo ao espelho em muitas passagens. De todas, e para não ter de copiar o texto inteiro, escolho esta -

    "Pessoalmente, desespero pelo que não posso controlar, pelo que posso sentir, mas cuja impotência não me permite resolver."

    Aprender custa mesmo! (como dizem os meus alunos)

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Acácia, boa noite, sabes que gosto mesmo muito desta nova opção de poder finalmente dar uma resposta pessoal a quem no blogue participa?

      Ficarei feliz, se do texto identificares as inúmeras portas e janelas, cheias de cor e de vida…

      Quanto ao “desespero pelo que não posso controlar”, costumo dizer que estou “domesticado” (risos)
      "Aprender custa mesmo!"Grande beijinho.

      Eliminar
  10. Só tu amigo Sam, para conseguires dar a volta, ser positivo e ainda nos prometeres que a felicidade está nas pequenas coisas.
    Fez-me bem, faz-me bem ler-te, porque te sinto verdadeiro.
    Um momento feliz!

    beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Muito bom este texto!
    "Existem dores que não podemos minimizar e feridas que demoram a sarar" outras nem cicatrizam porque teimamos em "coçar" e retirar antes do tempo a crosta que por si naturalmente caíria.
    Obrigada pela visita e carinho lá no meu Sentidos. Espero que volte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sandra, obrigado.
      Teimamos… concordo contigo, bom início de semana.

      Eliminar
  12. Sam, boa noite!
    Que bom que visitou o meu blog, dando-me assim a possibilidade de conhecer o seu.
    Parabéns pelo texto, há nele uma personalidade vincada e um conhecimento profundo da vida, além de estar lindamente escrito! Gostei muito!

    Beijinho com votos de uma Santa e Feliz Páscoa,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  13. Boa noite Ana, obrigado.
    Beijinhos. Votos de uma Santa e Feliz Páscoa.

    ResponderEliminar
  14. Concordo. E aproveito para sublinhar o último parágrafo e diria que sem haver dor também não aprendemos. Como para aprender a andar de bicicleta, é preciso que caiamos. E lembrei-me agora mesmo duma coisa que a minha primeira namorada me disse e que é impossível deixar de lhe dar razão: "na vida provamos o mel e o fel, e só provando o fel é que aprendemos a provar o mel".
    Continuação duma boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá. Não sou dos que defende que é necessário sofrer para evoluir… mas penso que isso faz de nós pessoas na verdadeira acepção da palavra.
      Abraço

      Eliminar