sábado, 21 de abril de 2012

Crónicas de Sábado à Noite



Após a celebração da Páscoa, em regresso “energético”, as “Crónicas de Sábado á noite”, aceitam a missão de tentar auxiliar o Governo no seu duro labor.
Assim, Senhor Primeiro Ministro, já que aparenta estar dependente da bênção do Santo Padre para retirar dois feriados, lamento que dele não tenha dependido para retirar subsídios, ou aumentar impostos, ou adquirir frotas de automóveis de luxo… numa lista quase interminável, apenas limitada pelo factor tempo, numa crónica que se quer curta.  
Num espírito construtivo, e sempre numa óptica de o querer servir, por favor retire o 25 de Abril, até porque a data perdeu todo o seu significado, agradecendo de antemão todo o apoio e sentido de dever dos Senhores políticos.
Para aqueles que ainda não o sabem, a Liberdade e a Democracia estão mortas e enterradas.
Não podemos, igualmente, deixar agradecer ao Senhor Vítor Gaspar, pela fé depositada nos portugueses, que querem continuar a ajudar o seu País, pelo que nunca é demais reforçar a seguinte ideia:
- Os poucos que ainda têm trabalho, estão dispostos a fazer muito mais, e por muito menos, dado só assim ser possível atingir a produtividade plena.
Aos portugueses, uma palavra de esperança, sendo que há muito trabalho em oferta, pelo salário mínimo, e em mercados paralelos onde não se paga impostos.
Aos portugueses, uma palavra de esperança, mas que ao mesmo tempo apela a uma consciencialização:
- O tempo da casa de família acabou, e é altura de começarem a visualizar o arrendamento, podendo muito facilmente pais e filhos viverem num só quarto, assim como é altura de o dividir com três ou quatro estranhos, sabendo que, se necessitar de mais espaço, pode não haver pontes suficientes…
Aos portugueses, uma palavra de optimismo, já que isto jamais vai melhorar.
Tenham um óptimo fim-de-semana…

13 comentários:

  1. Não sei se hei-de rir, se chorar... ainda bem que há razões para estar optimista... beijo

    ResponderEliminar
  2. Muito deprimente.
    Uma realidade que poderá estar mais perto do que se imagina.

    ResponderEliminar
  3. Pelo menos dá gosto ler-te...
    Beijo

    ResponderEliminar
  4. Se todos nós pagássemos impostos como o Catroga...
    Assim não vamos lá!
    :(

    ResponderEliminar
  5. Temos de tentar evitar a depressão... embora comece a ser difícil!

    ResponderEliminar
  6. A coisa está preta, principalmente para quem não é racista!
    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Os poderes que nos governam podem ser prepotentes e criminosos, mas não são estúpidos (infelizmente...): o feriado do 25 de Abril nunca será retirado,pois as consequências seriam inprevisíveis.Porque o espírito do 25 de Abril não está morto, porque há muita gente que continua a lutar para que as coisas se alterem, porque baixar os braços é que nunca, porque a democracia não está morta mas apenas adormecida e sem a participação do povo. Que um dia destes acordará!

    ResponderEliminar
  8. A lucidez e a boa escrita de mãos bem dadas!

    ResponderEliminar
  9. não esta facíl ser Portuguesa, mas enfim...
    bjs

    ResponderEliminar
  10. Não lhe dê ideias, por favor! Apesar de tudo, o 25 de Abril continua a ser uma data emblemática e é bom que a preservemos.
    Quanto a despesas sumptuárias, gostaria muito de saber quanto gastaram na remodelação dos gabinetes!
    Por uma ou outra coisa que vou sabendo, a austeridade não passou por lá...

    ResponderEliminar
  11. Para isso teve a benção de santa Troika

    ResponderEliminar
  12. Sam

    Ando em peregrinação pelos blogues dos Amigos, deixando a mesma mensagem.Desculpa.

    Começo hoje um continuar de estar e, por isso, não tem linhas demarcantes este meu novo blogue.
    Talvez olhe, muitos dias, para a velha acácia rubra do ontem e para as suas flores e sinta a saudade do céu azul, rendilhado de tons vermelhos, e do sussurro distante do mar, do meu...
    Estou aqui, assim... em http://quem-es-que-fazes-aqui.blogspot.pt/ mais uma vez.

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar