domingo, 15 de abril de 2012

Beethoven




Ontem à noite, tive o prazer de ser “desviado” até á sempre bela vila de Sesimbra e apreciar uma conferência/concerto sob o tema “Beethoven no seu Tempo”, conduzida por Carlos Otero, um grande Senhor, intervenção, essa, acompanhada por Paulo Oliveira ao piano.
Mesmo perante o esforço da organização, que colocou bilhetes a 3 euros, o Cineteatro Municipal João Mota, em Sesimbra, encontrou-se quase vazio.
Quem se predispôs a assistir à conferência/concerto, foi presenteado com a proximidade a Carlos Otero e a Paulo Oliveira.
Uma noite despretensiosa e destinada a fazer “acordar” para a música. Gostei bastante e aplaudo a iniciativa, que muito certamente teria merecido casa cheia.
Como não encontrei no youtube vídeo de Paulo Oliveira a interpretar Beethoven, deixo-vos com João Bettencourt .
Bom Domingo


18 comentários:

  1. Não morando assim tão distante - mas não dispondo de transporte proprio- há anos que não vou a essa agradavel povoação.

    E já que não tive o gosto de lá estar, obrigada por esta interpretação, rrss

    Bom domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vale a pena… mais ainda no inverno (com sol) e durante a semana… sentimento de grande paz…
      Quanto à música, eu gosto muito de piano…

      Tem um bom fim de semana

      Eliminar
  2. Isto é música para os meus ouvidos. :D

    ResponderEliminar
  3. Gosto muito de música clássica. Necessito dela para me manter calma! : )
    Lamento que essas iniciativas não tenham uma grande participação por parte das gentes do local onde ocorrem. Muitos queixam-se da pobreza dos programas mas quando estes são organizados, não comparecem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Catarina
      É mesmo necessário ter consciência das limitações de uma pequena vila como Sesimbra… atendendo a tudo isso, o programa era de uma grande dignidade…

      Eliminar
  4. E dixas muito be,_ maravilha...que mãos!
    Um bom resto de domingo!
    Bj

    ResponderEliminar
  5. É sempre pena que as iniciativas locais tenham pouca aderência neste tipo de eventos culturais. Sobre esta sonata e Beethoven, nem vale a pena comentar... só ouvir! :) Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Eva… a parte de piano foi…. Uma bênção para a Alma…
      Beijo

      Eliminar
  6. Que pena estas iniciativas não terem o eco desejado na população!
    Que pena...!

    ResponderEliminar
  7. Qualquer dia "perco a vergonha" e vou aprender música. Como nada sei e "sou novo"... é sempre a evoluir.
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo sempre a evoluir...
      Abraço Rui e bom fim de semana

      Eliminar
  8. Posso responder por aqui ao Rui Pascoal?

    Uma das coisas que gostaria de aprender teria sido música. O meu Pai tocava muito bem acordeão e também dava um jeito no piano. Nunca me ensinou e eu pus a minha filha desde os 4 anos no Conservatório onde andou até aos 12. Comprei um piano (que agora está ali mudo na sala). Mas, um dia destes, vou para umas aulas porque fui criada com música e quero ser,um dia se puder escolher, piano. Toque bem ou mal, vou aprender sem vergonha e porque aprender, aprende-se sempre...até a viver, o que é mais difícil.

    Desculpa, Sam, e obrigada pela belíssima interpretação que ouvi e por ter usado este teu espaço.

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto sempre muito de te ter cá e de te ler,
      Grande beijinho

      Eliminar
  9. Já me aconteceu algo semelhante num concerto jazz, no Theatro Circo. Confesso que até me senti um pouco constrangida.
    Boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fica um sentimento estranho, em especial quando se pensa que é quase uma falta de respeito para com o “talento” que está em palco…
      Tem um óptimo fim de semana

      Eliminar